“É JESUS QUEM CARREGA AS MINHAS DORES”

fevereiro 27, 2017 Seara Viçosa 0 Comments

 Foto: Zita Coutinho, RCC Viçosa

Nesta manhã de segunda-feira, a Zita Coutinho partilhou para nós sobre o tema, “É JESUS QUEM CARREGA AS MINHAS DORES”. É impossível dizer que não vamos sofrer, porém Deus não quer o sofrimento, fomos criados para ser felizes, contudo pela desobediência do homem, o sofrimento surgiu para ele mesmo, podendo ser observado na passagem do pecado original de Adão e Eva (Gn 1); antes da queda de Adão e das nossas do dia a dia, Deus já estava preparando o nosso socorro, um socorro trazido pela vinda de Jesus, pelo qual trouxe a salvação eterna.

Muitos sofrimentos em nossa vida surgem por causa dos nossos próprios pecados, pecados esses que nem fazemos caso; precisamos renunciar a todo momento o pecado, porque além de praticarmos eles, somos vítimas também do pecado do outro.

A nossa vida é repleta de feridas, de dores e a solução disso tudo é colocar tudo no coração de Jesus, como a palavra usada pela Zita nos fala, “Por suas chagas, fomos curados” (Is 53, 4-6).

A pregadora instiga a todos com uma pergunta, "Será que encontramos sentido no sofrimento? Sobre essa pergunta, partilha um testemunho sobre sua gravidez, as dificuldades que passou de um parto sofrido, sentindo muitas dores, com eclampsia e ficou com muito temor de perder o filho, ela nos revelou que ele foi um dos salvadores de sua vida, pois quebrou seu coração duro e a fez se voltar a Deus.
]
“Vinde a mim, vós todos que estais aflitos sob o fardo, e eu vos aliviarei. Tomai meu jugo sobre vós e recebei minha doutrina, porque eu sou manso e humilde de coração e achareis o repouso para as vossas almas. Porque meu jugo é suave e meu peso é leve. ” (Mt 11, 28-30)

Quando é que o peso se torna leve? Quando é que colocamos nossas dores no coração de Jesus? Muitas vezes jogamos nossos problemas nas costas dos outros, porém nós precisamos olhar para Jesus e se agarrar Nele, não é olhando para nossa cruz que vamos ser salvos, mas olhando para a cruz de Jesus e Colocando-O nos seus sofrimentos.

No caminho da cruz, Jesus passou por todo sofrimento que podemos imaginar, Ele foi humilhado e se sujeitou a tudo isso por amor, para nos dar vida; a palavra nos diz em João 15, 13 que ninguém tem mais amor que aquele que da sua vida pelos seus amigos; Deus assumiu a nossa humanidade para nos ajudar a suportar a nossa cruz.

“Sendo ele de condição divina, não se prevaleceu de sua igualdade com Deus, mas aniquilou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e assemelhando-se aos homens. E, sendo exteriormente reconhecido como homem, humilhou-se ainda mais, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz. Por isso Deus o exaltou soberanamente e lhe outorgou o nome que está acima de todos os nomes, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho no céu, na terra e nos infernos. E toda língua confesse, para a glória de Deus Pai, que Jesus Cristo é Senhor. ” (Fl 2, 6-11)

Jesus foi vitorioso em seus sofrimentos, para que também nós sejamos vitoriosos nos nossos; quase sempre queremos a felicidade plena aqui na terra, queremos posses, dinheiro, porém a plenitude de vida só conseguiremos no céu, na eternidade.

O sofrimento nos dá a noção da nossa fragilidade, porque somos dependentes de Deus, onde a fé é dom de Deus e é ela quem nos sustenta nessas fragilidades; as vezes não entendemos a palavra, mas que peçamos o auxílio de Deus e que Ele aumente a nossa fé em meios as adversidades e sofrimentos.

A nossa irmã Zita partilhou um parágrafo do Catecismo da Igreja Católica (CIC) que diz assim, “Comovido por tanto sofrimento, Cristo não só Se deixa tocar pelos doentes, como também faz suas as misérias deles: «Tomou sobre Si as nossas enfermidades e carregou com as nossas doenças» (Mt 8, 17) (111). Ele não curou todos os doentes. As curas que fazia eram sinais da vinda do Reino de Deus. Anunciavam uma cura mais radical: a vitória sobre o pecado e sobre a morte, mediante a sua Páscoa. Na cruz, Cristo tomou sobre Si todo o peso do mal (112) e tirou «o pecado do mundo» (Jo 1, 29), do qual a doença não é mais que uma consequência. Pela sua paixão e morte na cruz. Cristo deu novo sentido ao sofrimento: desde então este pode configurar-nos com Ele e unir-nos à sua paixão redentora. ”  (CIC 1505)

A pregadora fala um pouco sobre seu filho acerca de um acidente que ele sofreu e logo ele subiu ao palco e deu seu testemunho, disse que muitos dos nossos sofrimentos são fruto de nossas próprias escolhas erradas e que Jesus nos livra desses sofrimentos.


Ela vai terminando, dizendo que o sofrimento passa, mas Deus permanece e que Ele não desiste de nós, nunca e convida a todos a clamar a Deus a cura de todas as dores e problemas que assolam a vida de cada um. 

0 comentários: